Gestores do Imasul participam de curso para avaliar gestão de áreas protegidas

Campo Grande (MS) – Gestores do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) participam, em Cuiabá (MT), de curso de capacitação para aplicação do método RAPPAM (Avaliação Rápida e Priorização do Manejo de Unidades Protegidas). O curso acontece desde o dia 24 e se estende até a sexta-feira (28), e é ministrado por profissionais da WWF Brasil (Fundo Mundial para a Natureza ). A equipe do Imasul é chefiada pelo gerente de Unidades de Conservação, Leonardo Tostes Palma.

O método RAPPAM (Rapid Assessment and Priorization of Protected Area Management) foi desenvolvido pela Rede WWF e possibilita a avaliação rápida do manejo de unidades de conservação, objetivando fornecer ferramentas para que sejam desenvolvidas políticas adequadas à proteção de florestas e à formação de uma rede viável dessas áreas. Em Mato Grosso do Sul esta ferramenta já foi aplicada, em 2010, e os resultados podem ser conferidos neste link.

Com o método RAPPAM os técnicos podem identificar, por exemplo, a situação da conservação das áreas protegidas, identificar os pontos fortes e pontos a serem melhorados em cada uma. Para tanto, serão levantadas informações como perfil da unidade, pressões e ameaças internas e em seu entorno, importância ecológica e socioeconômica, infraestrutura, entre outros aspectos.

“É uma ferramenta que leva cada gestor a refletir sobre a unidade de conservação, permitindo uma análise integrada dos diversos componentes que as integram e apontando as medidas necessárias para aperfeiçoar nosso trabalho”, disse o diretor presidente do Imasul, Ricardo Eboli.

Mato Grosso do Sul dispõe de nove Unidades de Conservação Estaduais (sendo cinco parques estaduais: Prosa, Mata do Segredo, Pantanal do Rio Negro, Vale do Ivinhema e Nascentes do Taquari; dois monumentos naturais: Gruta do Lago Azul e Rio Formoso; e duas áreas de proteção ambiental: estrada-parque de Piraputanga e o rio cênico Rotas Monçoeiras) e uma área de especial interesse turístico, que é a Estrada Parque do Pantanal.

O curso está previsto no Plano de Trabalho do termo de cooperação técnica celebrado entre o Imasul e a WWF Brasil, que tem por objetivo a realização de projetos, estudos e pesquisas, capacitação de pessoal e outras atividades de interesse à conservação da biodiversidade, em especial a criação e gestão de unidades de conservação e demais áreas protegidas em Mato Grosso do Sul, por meio da elaboração da 2ª etapa do RAPPAM.