Sustentabilidade e rastreabilidade vão destacar novilho precoce no mercado mundial, diz secretário

Campo Grande (MS) – O investimento em práticas sustentáveis, rastreabilidade e divulgação vão fazer com que a carne de novilho precoce produzida em Mato Grosso do Sul conquiste definitivamente seu espaço no mercado mundial. Essa é a avaliação feita pelo secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, após participar do 9º Seminário Técnico Novilho Precoce MS, realizado pela Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores de Novilho Precoce (ASPNP), em Bonito, na sexta-feira (21).

Jaime Verruck acompanhou o governador Reinaldo Azambuja no evento, que aconteceu poucos dias após o lançamento do Precoce MS, programa coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), com a participação da ASPNP, dentre outros órgãos. “O Precoce MS é fundamental para o desenvolvimento da pecuária sul-mato-grossense, auxiliando na produção de uma carne cada vez mais competitiva e de qualidade”, afirmou o secretário.

Os números apresentados pela Associação durante o evento, “demonstram a dimensão do programa”, afirmou Jaime Verruck. A entidade conta com 352 associados e um rebanho com pouco mais de 1 milhão de animais, distribuído em 1.220.000 hectares, em 468 fazendas no Estado. Em 2016, foram 177 mil cabeças abatidas em 2016, operacionalizados em parcerias comerciais com o Carrefour, Walmart e JBS.

De acordo com o secretário, o papel do governo do Estado, por meio da Semagro, é garantir a continuidade do programa e atingir as metas estabelecidas para 2017. “Já estamos com mais de 10 mil matrizes abatidas no Precoce MS e nossa meta é chegar aos 80 mil abates até o final deste ano. O próximo passo é trabalhar na divulgação do Precoce MS para o mundo, mostrando que temos uma carne de qualidade, rastreada e sustentável. A WWF tem feito um trabalho em parceria com a Associação, mostrando exatamente, que essas propriedades, têm de ser sustentáveis. É esse produto que vai atender os mercados mais exigentes do mundo”, finalizou o secretário.

Fotos: Chico Ribeiro/Subcom